Victor Bobsin conta sua trajetória e fala dos desafios como profissional

O sonho de muitos jovens no Brasil é ser jogador de futebol. Desde pequeno alguns garotos imaginam vestir a camisa do seu clube do coração, da seleção e ser ovacionado pelo torcedor. Um desses meninos é Victor Bobsin, de 18 anos. Nascido em Porto Alegre Bobsin é tido com uma das promessas do Grêmio. Em 2017 o volante Arthur mostrou ao mundo a sua qualidade, e muitos apontam que Victor Bobsin será o próximo volante apresentado pelo tricolor.

Leia todas as notícias sobre as categorias de base

O destaque na base já vem de muito tempo. Ele já esteve presente na seleção sub-15 e estava na seleção sub-17 no mundial da categoria. Alguns jornais da Espanha já observam esse jogador e colocam o Barcelona como um futuro interessado no atleta. Para falar sobre todos esses assuntos, o jogador conversou com o Conexão Grenal.

Foto: Divulgação/ Assessoria P2

Como foi tua peneira no Grêmio e como o time entrou na tua vida?

Entrei na escolinha do Grêmio com nove anos, pedi como presente de natal para a minha mãe e ela me colocou. Eu fiquei treinando com os mais velhos. Depois o Grêmio me chamou para fazer teste. Acabei passando como zagueiro, mas não quis ficar porque não queria mudar de colégio. Em seguida, depois de muitas conversas, resolvi ir e comecei a jogar no Grêmio. Aí tive um treinador, o César Lopes, que me passou para volante, Consegui desempenhar bem a função e estou até hoje.

No colégio tu costumava jogar com jogadores mais velhos. O quanto isso ajudou no teu crescimento como profissional?

Sim. No colégio eu costumava jogar sempre com os mais velhos. Dos meus amigos, sempre fui o mais novo da turma e  isso me ajudou bastante, por que eles eram mais fortes. No contato eu perdia,  então tinha que tocar rápido e driblar. Nunca joguei na minha categoria no colégio. Sempre com os mais velhos. Com isso acabei ganhando força e hoje vejo com fundamental importância esse aprendizado.

Confira a tabela do Gauchão 2018

Tu vem se destacando nas categorias de base desde o sub-15 da seleção brasileira quando foi convocado, até chegar no teu momento no sub-17. O que mais sonha no momento em realizar?

Desde pequeno sempre sonhei ser um jogador profissional . Estou caminhando para isso. Mas conforme vai crescendo vai criando outros sonhos também. Conquistei grandes coisas na base e espero repetir isso no profissional. Ser reconhecido pela torcida, e dar alegria a nação tricolor. Quem sabe um dia poder jogar na Europa, se manter em alto nível. Tenho o sonho também de poder reunir todas as pessoas que amo, minha família, meus amigos e sei que hoje é difícil, mas eles são nosso bem maior e são nossa base.

Tu já declarou ser fã do Busquets, volante do Barcelona. Ele foi um dos principais influenciadores para tu escolher a posição de volante e não outra posição no meio?

Como disse anteriormente comecei como zagueiro, mas com certeza depois que fui para volante, passei a assistir muito o Busquets. Olhei muitos vídeos dele, do Barcelona. Ele é  um volante de muita qualidade, tranquilo e de bom passe. Depois que fui pra volante, ele me ajudou a entender a posição e exercer bem a função.

Todas as notícias da Copa São Paulo 2018

Jornais da Espanha afirmam que o Barcelona é um dos principais interessados no teu futebol. Qual o sentimento que fica com essa noticia?

Quando recebi a noticia estava no meio de uma competição, no meio da Copa São Paulo, então tentei esquecer tudo e focar na competição. Mas com certeza fiquei muito feliz, porque um clube grande como o Barcelona demonstrou interesse em mim. Sinal de que o trabalho está sendo bem feito.

Foto: Divulgação/ Assessoria P2

Em 2017 o Grêmio apresentou ao mundo o volante Arthur e muito se espera de ti nesse ano. Como fazer para essa pressão não afetar o teu futebol dentro de campo?

Continuar focado, trabalhar forte para quando aparecer a oportunidade de jogar pelo time profissional, corresponder as expectativas. A pressão sempre existe ainda mais numa equipe como Grêmio, mas é fazer o trabalho, e ter sempre o foco.

Fazendo uma autoanalise, o que o Victor Bobsin acha que ele precisa corrigir para se tornar um jogador completo?

Chegada ao gol e intensidade acho que são pontos a melhorar.

Deixe uma resposta