Desequilíbrio: o problema colorado em 2017

Opinião

Desequilíbrio. Esta é a palavra que assombra a torcida do Internacional no ano de 2017. Com um elenco muito superior aos adversários da série B do Campeonato Brasileiro, a expectativa dos alvirrubros era de que a equipe iria fazer grande campanha e apresentar um futebol de alto nível, aproveitando-se da fragilidade técnica e financeira dos outros times.

Contudo, em meados de junho, o Internacional já está no segundo técnico e ainda apresenta desequilíbrios preocupantes. A principal causa do problema para a maioria das pessoas é a falta de repetição de time. Apesar dos eventuais desfalques e suspensões, o colorado só foi conseguir apresentar uma organização tática este ano com a chegada de Edenílson, que realizando uma função de terceiro homem de meio campo conseguiu organizar e dar consistência ao coração do time.

Foto: Ricardo Duarte/ Inter

Porém, de forma inexplicável, Antônio Carlos Zago – o treinador da época – passou a mudar o atleta de lugar a cada jogo e acabou por matar qualquer possível evolução da equipe. Este é apenas um exemplo da falta de convicção que assola o estádio Beira-Rio.

Agora, sob o comando de Guto Ferreira, apesar do pouco tempo de trabalho, algumas situações voltam a se repetir. Por exemplo, o lateral direito William já estava vendido ao Wolfsburg da Alemanha há alguns meses e ao mesmo tempo os jogadores Ceará e Alemão não eram nem relacionados aos jogos, assim, mais uma vez, Edenílson passa a deixar a meia cancha vermelha e ter que atuar improvisado. Na vaga do mesmo, o jovem Charles que havia sido praticamente arquivado após o desempenho ruim no Gre-Nal do Gauchão pode se tornar titular novamente.

Foto: Ricardo Duarte/ Inter

Outra discrepância é o caso do centroavante Brenner, que apesar de ser o artilheiro colorado na temporada de uma hora para outra passou a não servir para ficar ao menos no banco de reservas. Com a lesão de Potker, o jovem atacante reaparece como possível solução.

Exemplos de falta de convicção poderiam ser citados para – ao ver desde que vos escreve – justificar o desequilíbrio colorado que hoje deixa o time gaúcho com uma boa pontuação, mas fora da zona de classificação da série B. Para todos os fins, no momento em que os ventos da convicção soprarem ao redor do estádio Beira-Rio, o Internacional possui todos os atributos para conseguir uma classificação tranquila e, consequentemente, o título da competição.

Deixe uma resposta