Ceará e Alex Santana de saída, as trapalhadas da gestão colorada

Opinião

Logo após a partida contra o Paraná Clube o lateral Ceará foi o primeiro jogador do Inter a passar pela zona mista e conversar com a imprensa. Falou que havia sido avisado que iria pro jogo apenas na hora do almoço. Disse que não entendeu a substituição no intervalo e comentou também sobre o desempenho ruim na primeira etapa da partida.

Ceará tem 37 anos. É o único remanescente do título mundial colorado conquistado em 2006. Retornou ao clube em 2016 em meio a polêmicas, já que saiu do Coritiba e teria sido recusado pelo Internacional após a realização de exames médicos. Ficou, mas pouco foi aproveitado. Na terça-feira fez a sua primeira atuação depois de 4 meses fora da equipe. Circula pela imprensa que ele deve rescindir seu contrato com o Internacional, o acordo vai até o final desta temporada.

Este não é um caso isolado. No segundo semestre de 2016, em meio a crise que culminaria com o rebaixamento, a direção colorada solicitou o retorno do zagueiro Eduardo, que estava no Náutico. O jogador voltou, mas foi pouco utilizado.

Recentemente Alex Santana, jogador da base colorada, estava cedido ao Paraná e retornou do empréstimo para ser mais uma opção no meio campo. O jogador estava lesionado e fez a sua recuperação no Beira-Rio. Como não vinha sendo aproveitado o atleta faltou o treinamento da segunda-feira. Sem apresentar uma justificativa foi remanejado para o Sub-23, porém deve mesmo é retornar ao Paraná Clube, onde vinha fazendo boas atuações e era titular.

A administração colorada parece estar perdida. Ninguém assume a responsabilidade pelas atuações desastrosas que o clube vem apresentando. Talvez a demissão de Zago tenha acontecido no momento errado, já que o novo comandante ainda não teve tempo para realizar um treinamento coletivo devido o calendário apertado.

Deixe uma resposta