Nelson Rodrigues: A pátria de chuteiras

Futebol e Cultura

O governo federal editou, em 2013, o livro Nelson Rodrigues: A pátria de chuteiras. A obra reúne crônicas do dramaturgo pernambucano radicado ainda criança no Rio de Janeiro. O livro está disponível para download gratuito e pode ser baixado neste link. As crônicas que fazem parte da obra foram escritas por Nelson entre as décadas de 1950 e 1970 e têm como temática o futebol.

Foto: Cedoc/ Funarte

Nelson Rodrigues nasceu no Recife em 1912, mudou-se para o Rio de Janeiro em 1916. Começou a trabalhar em jornal aos 13 anos como repórter policial no periódico A Manhã, jornal que havia sido fundado por seu pai, Mário Rodrigues.

A morte de seu irmão Roberto, na redação de Crítica, jornal da família, o marcou para sempre o jornalista e dramaturgo. Ele estava na redação quando a escritora Sylvia Thibau entrou no jornal pedindo para falar com Mário Rodrigues, como ele não estava perguntaram se poderia ser com Roberto, ilustrador do periódico, ela aceitou e disparou um tiro em sua barriga. Ele viria a falecer três dias mais tarde. Noventa dias depois, Mário Rodrigues, patriarca da família, morreria de trombose cerebral. Ele nunca se perdoou pela morte do filho. Sylvia foi absolvida no julgamento.

Outro irmão importante de Nelson é Mário Filho. Mário Leite Rodrigues Filho também foi jornalista e cronista. Fundou O Mundo Sportivo em 1931, mas o jornal durou pouco tempo. Em 1936 comprou de Roberto Marinho o Jornal dos Sports. Foi ele quem criou o Torneio Rio-São Paulo. Mario Filho escreveu seis livros sobre futebol [Copa Rio Branco, 1932; Histórias do Flamengo, 1934; O Negro no Futebol Brasileiro, 1947; Romance do Foot-ball, 1949; Copa do Mundo de 62, 1962 e Viagem em torno de Pelé, 1964]. Mário morreria de um ataque cardíaco em 1966, aos 58 anos.

Torcedor fanático do Fluminense, Nelson Rodrigues proferiu frases marcantes sobre o tricolor carioca:

“Sou tricolor, sempre fui tricolor. Eu diria que já era Fluminense em vidas passadas, muito antes da presente encarnação”.
“Se o Fluminense jogasse no céu, eu morreria para vê-lo jogar”
“O Flamengo tem mais torcida, o Fluminense tem mais gente!”
“Grandes são os outros, o Fluminense é enorme.”

Nelson Rodrigues: A pátria de chuteiras foi produzido em preparação para a Copa do Mundo de 2014.

One thought on “Nelson Rodrigues: A pátria de chuteiras

Deixe uma resposta