Livro de estreia de Nick Hornby fala da paixão pelo futebol

Futebol e Cultura
Foto: Divulgação

Se há quem afirme que o futebol é uma metáfora para a vida, em Febre de Bola o esporte se confunde com a própria existência do protagonista. O primeiro livro do autor londrino Nick Hornby busca justamente dissecar essa paixão a partir de suas experiências como torcedor fanático (pleonasmo?) do Arsenal.

Lançado no Reino Unido em 1992, o texto aborda a relação de Hornby com o clube do coração dos 11 aos 35 anos de idade.

Para estabelecer essa relação entre o futebol e a vida, Hornby divide os capítulos em torno de partidas da equipe e, em alguns casos, da Seleção Inglesa. O tempo é também descrito em relação a temporadas ou campeonatos de futebol.

Quando ainda era pequeno, o amor pelo Arsenal serviu para aproximar o escritor de seu pai, que estava na época se separando da mãe. Mais tarde, o fanatismo futebolístico permeou a sua relação com as outras pessoas. Com senso de humor característico, o britânico descreve as desculpas que inventava para faltar a compromissos que coincidissem com jogos importantes.

Os torcedores mais fervorosos sem dúvida se identificarão com algumas das situações narradas em Febre de Bola. E quem não compartilha do interesse poderão entender melhor tamanho sentimento, graças à escrita habilidosa de Hornby.

Deixe uma resposta